Dia Nacional dos Centros Históricos

Hoje, em Portugal, celebra-se o Dia Nacional dos Centros Históricos, data também que marca o nascimento de Alexandre Herculano, um escritor, historiador e jornalista português, um dos principais autores do Romantismo em Portugal.

Os centros históricos para além de serem “as partes mais antigas da cidade”,
são como uma “sucessão de testemunhos de várias épocas, monumento que nos traz vivo o passado, nos dá a dimensão temporal com a sequência dos factos que estruturam as identidades” (Teresa Salgueiro, 2005).

Em vários pontos do país, este dia será assinalado com variadíssimas atividades, da animação de rua às exposições, das visitas a monumentos e museus aos concertos.

Pode visitar um centro histórico diferente por ano ou tentar visitar mais do que um centro histórico neste dia.

porto

Miradouro – Elevador da Lada (Ribeira), Porto

(foto disponível em: VisitPorto)

 

Annonser

Dia Mundial da Poesia

 

Hoje celebra-se o dia Mundial da Poesia, uma data foi criada em novembro de 1999 na 30ª Conferência Geral da UNESCO.

Por a Poesia ser uma ”uma arma carregada de futuro” (Gabriel Celaya) partilhamos Jorge de Sena. Feliz dia da Poesia!

Uma pequenina luz bruxuleante

Uma pequenina luz bruxuleante
não na distância brilhando no extremo da estrada
aqui no meio de nós e a multidão em volta
une toute petite lumiére
just a little light
una piccola…em todas as línguas do mundo
uma pequena luz bruxuleante
brilhando incerta mas brilhando
aqui no meio de nós
entre o bafo quente da multidão
a ventania dos cerros e a brisa dos mares
e o sopro azedo dos que a não vêem
só a advinham e raivosamente assopram.
Uma pequena luz
que vacila exacta
que bruxuleia firme
que não ilumina apenas brilha.
Chamaram-lhe voz ouviram-na e é muda.
Muda como a exactidão como a firmeza
como a justiça
Brilhando indefectível.
Silenciosa não crepita
não consome não custa dinheiro.
Não aquece também os que de frio se juntam.
Não ilumina também os rostos que se curvam.
Apenas brilha bruxuleia ondeia
Indefectível próxima dourada.
Tudo é incerto ou falso ou violento: brilha.
Tudo é terror vaidade orgulho teimosia: brilha.
Tudo é pensamento realidade sensação saber: brilha.
Tudo é treva ou claridade contra a mesma treva: brilha.
Desde sempre ou desde nunca para sempre ou não:
brilha.
Uma pequenina luz bruxuleante e muda
Como a exactidão como a firmeza
como a justiça.
Apenas como elas.
Mas brilha.
Não na distância. Aqui
No meio de nós.
Brilha.

 – Jorge de Sena

 

 

 

Vem aí mais uma edição do FRAMES

A 5ª edição do FRAMES – Festival de Cinema Português realizar-se-á entre 15 e 25 de março, em Estocolmo, Gotemburgo e Västerås.

A abertura do Festival estará a cargo de Luísa Sobral, com um concerto agendado no Stallet – Världens Musik, no dia 15 de março, em Estocolmo, e no dia 17 em Gotemburgo.

A edição deste ano debruça-se ”On women”, e tentará refletir sobre a representação das mulheres no cinema português. Sérgio Tréfaut, Luisa Sequeira, Teresa Villaverde, Cláudia Varejão, Salomé Lamas e Nick Willing (os dois últimos estarão em Estocolmo) são alguns dos autores cujos filmes serão apresentados entre os dias 15 e 17. Depois, será a vez da Competição no dia 18. Todos os filmes são exibidos no Klarabiografen, e há ainda muitas surpresas e atividades.

O FRAMES estará também em Gotemburgo de 17 a 25 de março, e ainda em Västerås a 19 e 20 de março.

Como vem sendo habitual, também serão exibidas curtas-metragens animadas: Frames Kids.

frames.png

Para mais informações, clique aqui.